Pular para o conteúdo principal

CONSTRUIR A GREVE GERAL CONTRA A REFORMA DA PREVIDÊNCIA!

Temer e o Congresso Nacional querem acabar com a as aposentadorias, rebaixar salários e proteger corruptos, gerando mais repulsa na classe trabalhadora.


Se for aprovada a reforma da previdência, os trabalhadores e trabalhadoras na prática vão trabalhar até morrer, e não vai dar pra aposentar. Enquanto isso o Presidente Temer aposentou com 55 anos de idade com um salário de R$ 45 mil. Ele ainda indicou Alexandre de Moraes para o STF e criou um novo ministério para abrigar Moreira Franco, citado 34 vezes numa única delação da Odebrecht. Tudo isso mostra como agem os políticos corruptos inimigos dos trabalhadores.

Mesmo setores que se dizem contra os ataques do governo, como o PT e o PCdoB, por baixo dos panos estão apoiando o Temer, PSDB, PMDB e DEM na operação salva-corrupto.

As últimas pesquisas mostram a indignação contra o governo, cuja popularidade só cai. Quase a metade (49,8%) consideram o governo ruim ou péssimo. Só 10,3% o consideram ótimo ou bom.

O desemprego aumenta e o poder aquisitivo da classe trabalhadora despenca. Um setor do comércio está arruinado: foram fechadas quase 109 mil lojas no ano passado e, nos últimos dois anos, são mais de 360 mil vagas de empregos diretos a menos no setor.

Centenas de milhares de trabalhadores, além de terem perdido o emprego, não receberam o dinheiro da rescisão. Servidores dos estados e municípios não receberam 13º e estão recebendo os salários parcelados e atrasados. Enquanto isso o festival de corrupção, roubalheira e privilégios de políticos e grandes empresários continua rolando solto.

Greve geral já!

 O dia 8 de março está chegando e as trabalhadoras de vários países estão convocando uma greve geral contra o machismo e os ataques dos governos aos direitos trabalhistas. Aqui no Brasil, junto a isso, a CSP-Conlutas está chamando para 15 de março a construção de um dia nacional de paralização contra as reformas da previdência e trabalhista que o governo Temer e o congresso corrupto querem fazer, rumo a uma Greve Geral.

A iniciativa das mulheres no dia 8 de março em convocar uma greve geral internacional contra a violência machista é uma reposta aos governos de vários países de que as trabalhadoras não vão pagar a conta da crise econômica. Segundo a OIT, de cada três trabalhadores demitidos no mundo, um será no Brasil, e as mulheres são ainda mais vitimadas. O conjunto da classe trabalhadora deve se somar ao chamado das mulheres no dia 8 de março, juntos na luta contra a opressão a retirada de direitos.

Os sindicatos não devem autorizar que ninguém negocie retirada de direitos em nosso nome. Há por exemplo sindicatos de metalúrgicos filiados à Força Sindical repudiando as declarações do deputado Paulinho da Força e chamando a luta contra as reformas.

Vamos construir uma forte mobilização nos dias 8 e 15! É preciso ir às ruas exigir que as centrais sindicais, principalmente CUT e Força, chamem greves nesses dias e convoquem uma greve geral.

Mas acima de tudo, é preciso que os trabalhadores assumam a construção dessas mobilizações. Formem comitês no seu local de trabalho, no seu bairro, na sua escola para organizar esses dias de luta, para exigir que os sindicatos chamem assembleias e organizem paralisações no dia 15. Buscar a maior unidade possível para lutar contra o desemprego e defender a Greve Geral para derrotar as reformas do governo e pelo “Fora Temer e todos os corruptos”!

O Sindicato dos Metalúrgicos de Campinas e Região e a Intersindical também defendem a Greve Geral. Por isso queremos propor para os companheiros que se somem à exigência à CUT e à Força Sindical para construírem de fato a paralisação nacional dia 15 de março e a Greve Geral.

Também daria um enorme impulso a essa luta se as companheiras e os companheiros da Intersindical chamassem plenárias em seus sindicatos para debater os ataques em cada categoria e organizar a luta.

É necessário que o sindicato dos metalúrgicos organizem reuniões e plenárias com os trabalhadores metalúrgicos  cipeiros e nos grupos de fabricas para debater os impactos na saúde do trabalhador se a reforma da previdência e trabalhista passar, a plenária do dia 5 que esta marcada na sede do sindicato deve ter na pauta o debate sobre a reforma da previdência. 
É preciso construir um comitê contra a reforma da previdência em Campinas com os sindicatos movimentos sociais e partidos de esquerda para organizar luta contra as reforma da previdência e a construção da greve geral.



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

MACHISMO MATA DOZE EM CAMPINAS, OITO ERAM MULHERES

Por Laura Leal e Parintins Lima
Poucos minutos antes do dia 1º de janeiro de 2017, o técnico de laboratório Sidnei Ramis de Araújo, de 46 anos, matou a tiros a ex-mulher, mais 11 pessoas, sendo 7 mulheres durante o réveillon familiar no bairro Vila Proost de Souza, em Campinas (SP). Mais três pessoas ficaram feridas. O crime foi premeditado: o assassino, que se suicidou após o feminicídio, levava 10 bombas presas ao corpo e deixou um áudio gravado no celular e cartas com amigos endereçadas ao filho e à namorada.  Segundo testemunhas e as cartas, a motivação para matar as mulheres e as outras vítimas foi a guarda do filho que Sidnei disputava com a ex-mulher, Isamara Filier, de 41 anos, de quem estava em processo de separação. As cartas avisavam que Sidnei queria, segundo suas palavras, “pegar o máximo de vadias da família juntas”. Além disso, trechos de uma das cartas despreza a luta por direitos humanos e o feminismo. Num caso de feminicídio como este, que chamou a atenção de todo o …

PROGRAMA: EDUCAÇÃO

EDUCAÇÃO PÚBLICA, GRATUITA E DE QUALIDADE
A educação é um direito fundamental que (como a saúde, o transporte ou a segurança pública), para ser oferecido com qualidade, precisa de investimento. Com a crise econômica, os governos arrumam desculpa para cortar do orçamento o pouco que haviam garantido. Em Campinas, por exemplo, o governo havia reservado em dezembro de 2015 um orçamento de R$5 bilhões para o ano de 2016. Mas já em janeiro deste ano, Jonas Donizette anunciou um corte de pelo menos 20% da quantia aprovada, com a desculpa da crise econômica. Com esse tipo de corte (que também aconteceu nos Estados e no Governo Federal) as áreas mais afetadas sempre são a saúde e a educação. O corte serve para economizar dinheiro e garantir o lucro das empresas que são favorecidas pelo governo. Hoje os governos têm privilegiado os banqueiros e, no caso da educação, os donos das grandes redes privadas de ensino. Não adianta aumentar o investimento na educação e não garantir que a verba vá para…

PROGRAMA: EMPREGO

Segundo o IBGE, a taxa de desemprego no Brasil chegou ao patamar de dois dígitos, 10,2% no trimeste encerrado em fevereiro deste ano. No início do ano, já tínhamos 10,37 milhões de desempregados em todo o país. Em Campinas não é diferente. Pela primeira vez em 20 anos o índice do desemprego na cidade atingiu os dois dígitos. A cidade, que tem mais de um milhão de habitantes e 665 mil pessoas economicamente ativas, possui hoje mais de 68 mil desempregados. Em dois anos, o número de desempregados no município mais que dobrou. Em abril de 2014, eram 28.589, já no mesmo período deste ano o número saltou para 68.015 trabalhadores fora do mercado. Os números revelam que a taxa do desemprego na cidade atualmente é de 10,23%   da PEA – População Economicamente Ativa. Os dados são do IBGE, e baseados no Cadastro Geral de Empregados e Desempregados do Ministério do Trabalho e Emprego. A política de isenções fiscais e subsídios que o Governo de Dilma e Lula concederam aos patrões só serviu para…